Como mudar para o Reino Unido?

Outro dia me mandaram uma pergunta no face, questionando como eu estava conseguindo mudar para a Escócia. Bem, no meu caso é mais simples, pois tenho cidadania europeia o que praticamente abre as portas da Europa para mim. Mas comecei a pensar sobre qual seria o caminho para as pessoas que desejam mudar para o Reino Unido e não contam com a facilidade que um passaporte europeu proporciona.

No site do governo do Reino Unido, existe um formulário que permite uma consulta fácil em relação ao tipo de visto necessário. Veja aqui. Grande parte dos imigrantes precisará de algum tipo de visto para morar e trabalhar no Reino Unido por certo período. Ao saber o tipo de visto que deve ser requisitado, entre nesta página para fazer a solicitação. O ideal é fazer isso vários meses antes da época em que planeja viajar.

Arrume um emprego no Reino Unido: será possível requisitar um visto caso uma empresa de lá queira contratá-lo. O período de permissão dependerá do emprego oferecido:

  • Vistos do Nível 2 (Tier 2) são emitidos para trabalhadores de áreas de grande demanda, veja aqui. Tais vistos permitem, na maioria dos casos, três anos de residência, que podem ser estendidos para seis.
  • Vistos do Nível 5 (Tier 5) são permissões para trabalhos temporários (de seis meses a dois anos). Quando a pessoa não atende aos requisitos do visto do Nível 2, ela deve procurar trabalho em uma organização de caridade, como atleta, trabalhador religioso ou artista (cantor, comediante, ator, etc.).
  • Vistos do Nível 1 (Tier 1) são emitidos apenas para indivíduos que desejam abrir negócios, fazer investimentos multimilionários ou para líderes reconhecidos em suas áreas de atuação. Valem geralmente cinco anos, podendo ser estendidos para dez.

Matricule-se como estudante em uma instituição do Reino Unido: neste caso, é obrigatório falar inglês e ter dinheiro suficiente para se sustentar. Você poderá ficar até alguns meses a mais após a conclusão do curso, com trabalho permitido apenas em empregos relacionados a ele. Mas uma vez lá nada impede que você procure emprego e, caso uma empresa queira contratá-lo, basta solicitar um dos vistos acima.

Candidate-se a outros tipos de vistos: existem algumas outras maneiras de entrar e permanecer no Reino Unido por um período maior do que o de visitação turística, que é bem curto. Certas circunstâncias especiais são exigidas, entre elas, as mais comuns são:

  • Família: disponível para quem vai morar junto a um cônjuge, noivo, parceiro de dois ou mais anos, ou filho. O visto também é expedido para indivíduos que precisam ser cuidados por um familiar residente no Reino Unido.
  • Visto de descendente no Reino Unido (cinco anos, trabalho permitido): é obrigatório ser um cidadão da comunidade com avô ou avó nascido no Reino Unido.
  • Visto Nível 5 (Tier 5 – Youth Mobility Scheme) (dois anos, trabalho permitido): para cidadãos de certos países, entre 18 e 30 anos. O “Youth Mobility Scheme” consiste em uma série de exigências que comprovam que o estrangeiro possui condições de morar no país (dinheiro para se sustentar, ser cidadão de um dos países listados, etc.).
  • Visto de turista (geralmente permite a permanência por seis meses, sem permissão de trabalho): deve ser o último recurso; caso tenha dinheiro para sustentar-se durante a espera, é permitido chegar utilizando um visto de turista e tentar ser contratado para um trabalho, para então poder se candidatar a uma permissão de trabalho.

Você tem alguma dúvida, alguma coisa que gostaria de saber? Manda pra mim através dos comentários ou pelas redes sociais. Dentro do possível tentarei responder.

Anúncios
Sobre tatySou alguém que ama. Alguém que não sabe viver sem esse sentimento e, talvez por isso, muitas vezes a vida se torne tão sofrida. Não falo de um amor apenas carnal, mas de amor pela vida, pelas coisas, pela natureza, pelo desconhecido. Em tudo o que faço tem um pouco de amor; se não fosse assim não conseguiria fazê-lo. Amo minha profissão e não me vejo em outra. Amo minha família, meus sobrinhos lindos. Amo meu avô que se foi há tanto tempo, mas que até hoje dói. Amo as muitas Tatianas que há em mim. Sou muitas, assim como Clarice e, talvez por isso, me identifico tanto com ela. Amo o Chico e seu jeito de cantar as dores e alegrias das mulheres. Amo U2 e toda beleza e dor que existem por trás das palavras cantadas por Bono. Amo a sensação de saber que sou capaz de amar e de me sentir amada. Amo andar de mãos dadas por aí, sem precisar dizer uma palavra, o jeito, o calor das palmas unidas, dos dedos entrelaçados já falam por si. Amo meus amigos. Minha vida não seria a mesma sem cada um deles, perto ou longe... nos momentos de alegria ou de tristeza. Amo escrever. Ver as palavras ganhando vida no papel, expressando, muitas vezes, aquilo que não consigo expressar em palavras. Amo o jeito como ele me olha. Amo olhá-lo. Amo ouvir música e me deixar invadir pela melodia. Simplesmente amo a vida. Amo o passado e as pessoas que fizeram parte dele. Amo o presente e o que faz parte dele e amo o futuro e todas as perspectivas que ele me traz. Amo... e sei que no dia que esse sentimento me deixar, a vida também não estará mais presente em mim! Quer saber mais, ou entrar em contato? Mande um e-mail para vivendoemedimburgo@gmail.com ou me procure no twitter @vivendoemedimburgo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s