Guia dos festivais de verão 2018 em Edimburgo

Street-performers-during-the-Edinburgh-International-Festival-CREDIT-AndrewPickettPhoto.com_-e1493319538138

Chegou o verão pelo hemisfério Norte. Logo Edimburgo estará repleta de Thistles e de ainda mais turistas eufóricos pelos vários festivais que tomam conta da cidade durante esta estação do ano.

Por isso o Vivendo em Edimburgo resolveu fazer um post com os principais festivais que já estão agitando a cidade e os próximos, para que você possa se programar.

DSC51132

De 13 a 22 de julho acontece o Festival de Jazz e Blues de Edimburgo,  com inúmeros shows em diferentes endereços na cidade. Muitos dos shows são pagos, mas é também durante este festival que acontece o desfile de Carnaval, na Princes Street (marcado para o domingo, 15 de julho), e também o Mardi Gras (acontecerá no sábado 14 de julho), que durante um dia transforma a região do Grassmarket em Nova Orleans, com barracas de comida e ritmos contagiantes.

De 26 de julho a 26 de agosto acontece o Festival de Arte de Edimburgo, com exposições nas principais galerias e museus da cidade, tanto de artistas já consagrados, quanto de novos nomes da arte. As exposições são quase sempre gratuitas e esculturas também podem ser vistas em espaços públicos da cidade.

Agosto é, sem dúvidas, o mês com mais eventos, então não deixe para se programar em cima da hora.

144416WSk

Começando no dia 3 de agosto e indo até o dia 27 do mesmo mês acontece o Festival Fringe, maior festival de artes cênicas do mundo, com teatro, comédia, dança e música para adultos e crianças. Muitas das apresentações acontecem na rua, por toda a Royal Mile e também no The Mound. Fique atento, pois para as atrações pagas é possível conseguir ingressos com desconto. No The Mound, junto às Galerias de arte, fica o Virgin Money Half Price Hut, um posto de vendas pela metade do preço para espetáculos que acontecem no mesmo dia. O Fringe surgiu com iniciativas como o Free Fringe e o Laughing Horse, que promovem espetáculos gratuitos em bares e restaurantes, com o pedido de um donativo voluntário ao final. Esta é uma excelente forma de ser surpreendido por espetáculos sem ter que comprar entradas antecipadamente.

No mesmo período acontece o Festival Internacional de Edimburgo, o qual é a origem dos festivais de verão da cidade, reunindo música clássica, teatro, dança e ópera. Os ingressos são geralmente caros e esgotam em poucos dias. No dia 27 de agosto acontece o Show dos Fogos, onde um espetáculo de fogos de artifício encerra o festival. Os fogos estouram no Castelo de Edimburgo, acompanhados por um show da Orquestra de Câmara Escocesa. O ingresso para o espetáculo, no Princes Street Gardens é pago, mas é possível fazer como a maioria dos escoceses e assistir ao show de fogos de pontos altos da cidade, como o Calton Hill e o Inverleith Park.

DSC03131

De 3 a 25 de agosto acontece, na esplanada do Castelo, o Royal Edinburgh Military Tattoo, que reúne música, dança, tocadores de gaita de fole, tambores e bandas militares.  Assim como o Festival Internacional, os ingressos esgotam rápido.

De 11 a 27 de agosto é a vez da literatura, com o Festival Internacional do Livro de Edimburgo, que acontece na Charlotte Square, oferecendo mais de 750 eventos com alguns dos mais famosos autores do mundo. É possível participar de saraus de prosa e poesia, workshops de escrita, conversas com autores… além de passear pelas tendas de livrarias espalhadas pela praça.

No final de semana de 1 e 2 de setembro acontece o Edinburgh Mela, um festival organizado pelas minorias étnicas de Edimburgo. Com música, filmes, apresentações teatrais, workshops e barracas de comida e artesanato, o Mela enche o parque Leith Link de cor.

 

*Este post será constantemente atualizado com novas informações sobre os festivais.

Anúncios
Sobre tatySou alguém que ama. Alguém que não sabe viver sem esse sentimento e, talvez por isso, muitas vezes a vida se torne tão sofrida. Não falo de um amor apenas carnal, mas de amor pela vida, pelas coisas, pela natureza, pelo desconhecido. Em tudo o que faço tem um pouco de amor; se não fosse assim não conseguiria fazê-lo. Amo minha profissão e não me vejo em outra. Amo minha família, meus sobrinhos lindos. Amo meu avô que se foi há tanto tempo, mas que até hoje dói. Amo as muitas Tatianas que há em mim. Sou muitas, assim como Clarice e, talvez por isso, me identifico tanto com ela. Amo o Chico e seu jeito de cantar as dores e alegrias das mulheres. Amo U2 e toda beleza e dor que existem por trás das palavras cantadas por Bono. Amo a sensação de saber que sou capaz de amar e de me sentir amada. Amo andar de mãos dadas por aí, sem precisar dizer uma palavra, o jeito, o calor das palmas unidas, dos dedos entrelaçados já falam por si. Amo meus amigos. Minha vida não seria a mesma sem cada um deles, perto ou longe... nos momentos de alegria ou de tristeza. Amo escrever. Ver as palavras ganhando vida no papel, expressando, muitas vezes, aquilo que não consigo expressar em palavras. Amo o jeito como ele me olha. Amo olhá-lo. Amo ouvir música e me deixar invadir pela melodia. Simplesmente amo a vida. Amo o passado e as pessoas que fizeram parte dele. Amo o presente e o que faz parte dele e amo o futuro e todas as perspectivas que ele me traz. Amo... e sei que no dia que esse sentimento me deixar, a vida também não estará mais presente em mim! Quer saber mais, ou entrar em contato? Mande um e-mail para vivendoemedimburgo@gmail.com ou me procure no twitter @vivendoemedimburgo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s