Relato: como eu trouxe meus gatinhos do Brasil para Edimburgo

O relato de hoje é da Gabriela Rolim. Em 2017 ela e o marido mudaram com os 4 gatinhos para Edimburgo. E neste relato ela conta sobre o processo.

travelcat

“Pegamos um voo de Guarulhos para Amsterdam pela KLM ✈️. De lá, fomos para Rotterdam de Uber (porque eram muitas malas e duas caixas enormes dos gatos e ficou complicado pegar o trem, mas se você for só com um animal vale muito mais a pena ir de trem ) e pegamos a ferry da P&O Ferriespara Hull. Em Hull um grande amigo nos buscou e viemos para Edinburgh. ☺️ (mas tem trem para todo o país!)

Documentação: antes de sair do Brasil você precisa microchipar os animais e em seguida dar a vacina de raiva. A vacina só é válida depois de colocar o chip. Aí precisa esperar cerca de 1 mês e coletar o sangue, centrifugar e enviar para o Centro de Zoonoses de São Paulo para que eles façam a sorologia da raiva. Costuma ficar pronto em 1 mês. Com esse exame você pode sair do Brasil em 90 dias. Antes de sair, precisa levar toda a documentação do chip + sorologia + atestado veterinário no Ministério da agricultura para emitir o CVI/CZI que, ATENÇÃO, é válido por apenas 5 dias, então precisa ser feito na véspera da viagem. Com a papelada em mãos você entra na Europa e no UK. Outra opção é tirar o passaporte animal, mas como é um pouco mais demorado e mais complicado de tirar no Brasil, preferimos o CZI. Os dois são aceitos.

8svpbg4fcj46v9dbdy3u1vk6b

Valores: como trouxemos por conta própria, saiu mais barato do que enviar por transportadora… mas sempre vale citar e ver se é mais conveniente para cada caso. Recomendo a MMCargo que conheço pessoas que usaram e gostaram.
No voo KLM pagamos USD 140 por caixa. Tínhamos duas caixas grandes com dois gatinhos em cada, fazendo companhia.
Na Ferry pagamos acho que £17 por animal.”

 

Para mais informações, a KLM tem uma página só de orientações para viagens com os bichinhos de estimação. Quem quiser pode dar uma lida aqui.

Gostaria de agradecer à Gabriela por ter me autorizado a postar o relato dela aqui no blog. E você? Tem alguma história que gostaria de compartilhar com o Vivendo em Edimburgo? Envie um e-mail para vivendoemedimburgo@gmail.com