Alugando um apartamento em Edimburgo

Uma das primeiras coisas que estranhei logo após a minha mudança foi a forma de trabalhar das imobiliárias escocesas, ou pelo menos as de Edimburgo. Já tinha tido experiência de querer alugar um imóvel no Brasil e quando você vai à imobiliária com uma ideia geral do que quer, os corretores saem te mostrando um zilhão de imóveis, te levam para ver outro zilhão e assim vai até o fechamento ou não do negócio.

Bem, não é bem assim que as coisas funcionam por terras escocesas. Ao chegar na imobiliária os corretores esperam que você já tenha visto os apartamentos no site deles e já chegue lá ou telefone informando que quer visitar o imóvel X. É marcado então um dia e horário para visitar o imóvel. Às vezes pode até acontecer de ver dois imóveis na mesma imobiliária no mesmo dia, mas não espere muito mais do que isso. E não espere também que o corretor te leve para cima e para baixo de um imóvel para o outro. No horário marcado vocês se encontram na porta do imóvel ou às vezes já no apartamento e pronto.

Gostou do que viu? Você vai então fazer um depósito para segurar o apartamento para você e ele parar de ser mostrado enquanto a papelada anda. A imobiliária vai te pedir referências e mais algumas coisas para enviar para o proprietário (aqui chamado landlord) para ele ver se aceita você como inquilino. No meu caso, como não conhecia ninguém para servir de referência/fiador e sou autônoma, a exigência foi de que eu pagasse os primeiros seis meses de aluguel antecipado, no dia da entrega das chaves. Essa é uma prática bem comum. O bom é que durante seis meses você não paga o aluguel. O ruim é que tem que ir preparado para desembolsar essa quantia de uma vez.

Além do aluguel, há também o pagamento do seguro. No meu caso foi um aluguel e meio. Esse valor fica depositado em uma espécie de título de capitalização e, no final do contrato, se estiver tudo certo com o apartamento, o valor é devolvido para você.

O landlord aceitando você é só mudar. No dia da mudança o pessoal da imobiliária vai apresentar para você o inventário de tudo o que há no apartamento e de todos os “defeitos” encontrados, tipo problema na pintura, mancha no armário, etc, etc. Você tem sete dias (no meu caso o prazo foi esse) para conferir tudo e caso encontre outras coisas anotar, assinar e enviar de volta para a imobiliária. Faça isso! Uma verificação igual vai ser feita ao sair.

Você vai receber também um manual com os direitos e deveres de inquilino e proprietário. É muito útil ler. Diferente do Brasil, pelo menos na imobiliária onde aluguei meu apartamento, qualquer conserto no apartamento era por conta da imobiliária. Deu defeito na descarga? Era meu dever entrar em contato com a imobiliária e eles mandariam alguém para consertar. E assim por diante. Outra coisa importante é discutir e colocar tudo no contrato. Veja antes se seu landlord aceita pets no apartamento. Alguns não falam nada, mas o certo é antes de arrumar um avisar à imobiliária e ver com o landlord. Lembre-se sempre que o apartamento não é seu, para evitar dores de cabeça.

Ah, a duração normal dos contratos é de seis meses e depois se for de interesse dos dois ele vai ser renovado automaticamente. Caso queira sair ou o landlord queira o apartamento, o aviso precisa ser dado, por escrito, com pelo menos dois meses de antecedência.

Para a procura de apartamentos eu indico dois sites: o rightmove e o gumtree

No mais, boa sorte na procura!

Anúncios

Cuidando da parte burocrática

20170814_094812[1]

Hoje estava dando uma olhada aqui no blog, pensando sobre o que escreveria e me dei conta que deixei de contar sobre tanta coisa… Bem, tentarei recolocar as coisas em ordem a partir de hoje.

Como cheguei em Edimburgo num sábado fim de tarde, pouca coisa pude fazer no final de semana além de andar pela cidade. Mas na segunda-feira bem cedo já comecei a agilizar a parte burocrática da mudança. A primeira coisa que fiz foi ligar para o Job Center (0345 600 0643) para agendar minha entrevista para o NINO (National Insurance Number; já falei sobre ele aqui); você vai precisar deste número para trabalhar no UK. Agendar pelo telefone foi fácil e rápido e alguns dias depois recebi uma carta confirmando a entrevista e informando os documentos que eu deveria levar para a entrevista, que também é muito rápida e tranquila. Depois da entrevista, em alguns dias você recebe seu NINO, pelo correio. Guarde-o bem pois você vai precisar dele sempre.

Em seguida, fui até o Barclays para tentar agendar para abrir minha conta bancária. Mas atenção, atualmente os bancos estão exigindo comprovante de residência (contas ou carta do HMRC) mesmo dos cidadãos europeus para abertura de contas, então não consegui fazê-lo logo de cara. Essa parte acabou sendo um pouco mais burocrática do que eu estava esperando. Mas fui muito bem atendida e orientada no Barclays da Princes Street.

20170814_095059[1]

Aproveitei que estava na Princes e entrei na O2 para comprar um chip para o celular (Eu escolhi a O2, mas o que não falta na Princes Street é loja de operadora de celular e aqui no UK não tem muita diferença entre elas. Vale a pena ver qual está fazendo alguma promoção na época). Inicialmente, enquanto não tiver conta em banco o jeito é comprar o chip Pay as to go, – o equivalente ao pré-pago deles – depois que já estiver com tudo acertado, aí caso seja do seu interesse é só ir na operadora e trocar para um dos planos deles.

Como eu iria me locomover muito de ônibus, aproveitei para passar na 27 Hanover Street e fazer meu Ridacar, o cartão do ônibus. Já falei sobre ele no post sobre o transporte em Edimburgo.

A partir daí, hora de começar a percorrer as imobiliárias. Eu já estava monitorando apartamentos a partir de sites como Rigthmove, Zoopla, Gumtree e já tinha uma ideia de valores e de que bairros eu não queria de jeito nenhum (hoje eu recomendo que não vá com uma ideia tão fechada assim, percorra os bairros, se permita andar pela cidade e conhecer os lugares). Mas sobre o processo de encontrar um apartamento e como alugá-lo eu conto em outro post.